Dionísio americano

Sabemos que os índios das Américas produziam bebidas alcoólicas fermentadas de várias matérias como mandioca, milho, quinoa e outros. Sua técnica de fermentação passava pelo mascar e cuspir estes produtos, sendo, então, conhecido por chicha, termo disseminado pelos espanhóis, cuja origem vem da palavra chichal (salivar, cuspir).

Na América do Sul atlântica, a palavra que se referia ao fermentado de mandioca, beijus, caju, abacaxi é cauim.

As bebidas tinham função nutricional, medicinal e de aporte social, além, também, de utilizadas em rituais religiosos.

Com a chegada dos europeus, houve algumas intervenções na relação do ameríndio com a embriaguez. Com eles, chegaram os destilados, o que degringolou o esquema dos nativos.

Duas visões se contradizem a esse respeito, uma em que a embriaguez do índio com destilado representou a sua desagregação, submissão e aculturação e que a aguardente foi tão, ou mais, destruidora que as armas de fogo. Já o outro viés aponta que o embriagar-se do índio foi a forma de rebelar-se contra a opressão e buscar novas significações para expressão de símbolos.

Além da influência dos destilados, os rituais idolátricos dos nativos (em que, além do consumo sagrado do cauim, chicha e etc, usavam-se, também, fortes psicoativos) atraíram brancos, negros e mestiços, deixando as autoridades eclesiásticas preocupadas. Surgiram, assim, movimentos inquisitoriais de extinção destas idolatrias. Houve quem defendesse os rituais, e vale a ressalva do dominicano Bartolomé de Las Casa.

O fato é que, a intervenção do destilado foi um grande golpe aos costumes de nativos, que utilizavam fermentados que não chegavam a 8% de teor alcoólico nos chamados cauinagens, cerimônias em que faziam uso destas bebidas.

Fato curioso, em meio a tudo isso, é o de uma figura inusitada, quase lendária, que passou pelo oeste norte-americano, disseminando uma cultura em que foi chamado de “Dionísio Americano”. Conhecido como Johnny Appleseed, seguiu rumo a oeste dos EUA, plantando macieiras, para a fabricação de sidra, o “vinho de maçã”!

Talvez ele tenha estudado sobre a formação dos cidadãos gregos do séc VII a. C. sob os ensinamentos da moderação…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s